Caminhos para emagrecer além da bariátrica

Postado por master em 21/fev/2022 - Sem Comentários

A busca pelo corpo bonito e saudável, é o sonho de consumo de boa parte da população mundial. O emagrecimento está ligado a diversos fatores de nossas vidas, que acabam influenciando no ganho de peso. Segundo um estudo da Nestlé, 60% da população brasileira não está feliz com o seu corpo e deseja emagrecer alguns quilinhos, seja por estética ou por saúde.

Que a Suzanclin é referência em cirurgia bariátrica eu e você já sabemos, mas você sabia que nós oferecemos outros caminhos para quem busca emagrecer? No nosso post blog de hoje, iremos te mostrar outros caminhos para eliminar o excesso de peso.

Existem alguns fatores que auxiliam no ganho de peso, seja por problemas hormonais, falta de atividades físicas, má alimentação, problema psicológico e entre outros. O emagrecimento, significa a redução da quantidade da gordura corporal, para se chegar nele, é necessário que haja um déficit de energia, a quantidade de calorias que ingerimos deve ser menor que a quantidade de energia gasta no dia. Sendo assim, o corpo humano irá buscar o restante de energia necessário para funcionar utilizando a degradação da gordura, gerando o emagrecimento.

Mas afinal, com qual profissional devemos buscar ajuda? Para alguns, é difícil escolher o especialista adequado para auxiliar no ganho ou na perda de peso, existem diferentes métodos e técnicas que irão ajudar você a chegar no peso ideal, confira quais na nossa lista abaixo.

  • Nutrólogo

O nutrólogo, é o médico especializando em nutrologia. Essa especialidade, é o ramo da medicina, especializada na nutrição em todos os seus aspectos. Tem como função diagnosticar a prevenção e o tratamento das enfermidades nutroneurometabólicas.

O médico nutrólogo, pode solicitar exames e prescrever medicamentos para realizar o diagnóstico, para a prevenção e o tratamento de doenças relacionadas ao excesso ou falta dos nutrientes. Podendo realizar tratamentos de hipertensão, diabete e obesidade.

Funções do nutrólogo:
Diagnosticar e tratar doenças causadas pelo excesso ou falta de nutrientes. Realizar a educação nutricional do paciente, mostrando a importância e os malefícios de algumas substancias.

  • Endocrinologista

O médico endocrinologista, é responsável por avaliar e tratar todo o sistema endócrino e metabólico. Esse sistema, é responsável pela produção de hormônios que são importantes para diversas funções do organismo. O especialista irá diagnosticar os distúrbios hormonais no organismo do paciente, que podem estar gerando o excesso de peso ou a obesidade.

Quando necessário, o especialista pode complementar o tratamento encaminhando o paciente para o nutricionista, para auxiliar no tratamento do paciente.

Falamos um pouco mais sobre o Endocrinologista no nosso blog, confira aqui.

  • Nutricionista

O Nutricionista, é o especialista formado em nutrição. Capacitado para atuar em diversas áreas da saúde, seja clinico, esportivo e entre outros.

O profissional, estuda os alimentos e seus efeitos no organismo, elaborando planos alimentares a partir do diagnóstico nutricional. Ao contrário do nutrólogo e endócrino, o profissional de nutrição não pode solicitar exames e medicamentos.

Principais funções:

Prescrever dietas e orientar os pacientes e suas necessidades nutricionais.

Preparar cardápios.

Controlar o preparo, higiene, e qualidade de produtos e alimentos

Auxiliar na alimentação de acordo com a preferência e metabolismo do paciente

  • Preparador físico

O preparador físico, é o profissional da área esportiva, formado em Educação Física. O especialista irá avaliar e desenvolver treinamentos, visando melhorar o desempenho e preparo físico dos pacientes.

Com ou sem a ajuda do preparador físico, o ideal é que o paciente procure um desses especialistas, junto com a prática de exercícios físicos. Para aumentar o déficit calórico, a prática de exercícios é imprescindível.

Mas vale ressaltar, que para obter os melhores resultados, devemos sempre contar com profissionais sérios e bem capacitados.

Ficou alguma dúvida? Entre em contato conosco pelas nossas mídias sociais, até mais! 

Obesidade na pandemia

Postado por master em 31/jan/2022 - Sem Comentários

A obesidade é uma doença crônica e com ela outras doenças acabam se manifestando, como no caso da hipertensão, diabete, complicações cardiovasculares, problemas ortopédicos entre outros. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de um bilhão de pessoas adultas em todo o mundo sofrem de obesidade, no Brasil cerca de 20% da população é obesa, já as pessoas com excesso de peso totalizam 60%, sendo mais da metade.

Com o Covid-19 esse problema ficou ainda mais sério, segundo dados do Instituto IPSOS o Brasil foi o país que mais cresceu no índice da obesidade durante a pandemia, 52% dos brasileiros tiveram aumento no peso, sendo a população que mais ganhou peso nesse período. O isolamento social contribuiu com o aumento dos números, prejudicando a prática de exercícios físicos. Por mais de um ano as academias e parques ficaram fechados, deixando poucas opções para a prática, muitas pessoas deixaram de se movimentar até mesmo para ir ao trabalho ou escolas, devido ao home office.

O estresse que o confinamento gerou, causou problemas psicológicos nas pessoas, gerando um clima de incerteza sobre quando tudo isso iria acabar ou melhorar. Seja pela ansiedade ou outros fatores, a população acabou se descuidando na alimentação, optando por alimentos ricos em carboidratos e gordurosos.

Segundo outra pesquisa da Ipsos, o Brasil é o país que menos realiza atividades físicas, a pesquisa contou com 29 países, isso mostra o quanto pratica é fraca em territórios brasileiros. Em média, o brasileiro se exercita 3 horas por semana, 31% dos entrevistados disseram que não dedica nenhum tempo para a prática, sendo o segundo pais com menos pessoas que não investem nenhum tempo, perdendo apenas para os japoneses que somam 34%.

O Brasil vive um alerta devido aos novos casos de Covid-19, com as festas de fim de ano houve um aumento significativo no número de pessoas positivadas. Somando isso com a chegada de novas variantes como a Omicron, o país vive um novo sinal de alerta que novamente pode levar as restrições.

Como se manter saudável na pandemia?

Uma alimentação saudável e balanceada em conjunto com a prática de exercícios físicos, são nossas melhores opções. Os exercícios além de prevenir o ganho de peso, irá nos afastar de possíveis doenças que aumentam o fator de risco da Covid-19. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a recomendação para pessoas saudáveis é de no mínimo 150 minutos de atividade física por semana para adultos e 300 minutos de atividade para crianças e adolescentes.

Na ausência de aparelhos e acessórios para a atividade, recomendamos a pratica em um local em que o individuo consiga utilizar o peso corporal e adapte o espaço dentro de casa. Existem diversos métodos e exercícios para quem tem o espaço limitado, como, por exemplo: flexão, abdominais, agachamentos, pranchas com elevações e entre outros. Existem aplicativos de exercícios nas lojas virtuais para te auxiliar a como se exercitar dentro de casa. Fica a nossa dica do: queima de corpo inteiro, exercícios em casa e do desafio 30 dias fitness.

Já na questão alimentar, opte por uma dieta mais balanceada, fuja de alimentos ricos em gordura, açúcar, carboidratos em excesso, fast food, industrializados e entre outros.

 Opte por alimentos que vão te ajudar a se manter mais forte contra o vírus e todos os outros malefícios, como, por exemplo, as frutas, legumes, verduras, naturais, etc.

Vale lembrar que a pandemia ainda está longe de acabar, então siga as instruções dos órgãos de saúde, se previna, vacine-se e não aglomere.

Balanço Geral 2021

Postado por master em 31/dez/2021 - Sem Comentários

O ano de 2021 já está no fim e com isso trouxemos para nossos pacientes algumas dicas para colocar em prática a partir do ano que vem buscando uma vida com mais qualidade. Desde 2020 estamos combatendo o covid-19 e ele deixou muito claro para todos como a saúde é importante, agora é hora de aproveitar o fim de ano para refletir sobre sua vida e como ela está sendo levada. O fim do ano é também o melhor momento para planejar o novo ano que vem e as prioridades que deseja levar para o mesmo.

Não seja mais um daqueles que só vai à consulta médica quando está se sentindo mal! Se organize com a gente para viver um 2022 mais, saudável.

Seja você um paciente bariátrico ou não, o que vai te ajudar a cuidar da sua saúde é manter os acompanhamentos médicos em dia. Os famosos check-ups servem para avaliar sua saúde de forma completa, auxiliando na evolução do seu histórico clínico.

É recomendado fazer no mínimo um exame geral completo anualmente, mas para quem realizou a cirurgia bariátrica, é portador de alguma doença, ou possui histórico familiar patológico, esse tempo deve ser reduzido. É importante manter uma frequência com a equipe especializada, que irá contribuir para um diagnóstico detalhado sobre o funcionamento do seu corpo.

Deixamos aqui algumas dicas para se organizar nas suas consultas durante o ano e para uma rotina mais saudável.

Dicas para manter suas consultas em dia:

  • Agende suas consultas com antecedência para que não aconteça de não ter mais vaga, lembre-se de sempre anotar em mais de um lugar as datas dos retornos para não se perder.
  • Antes das suas consultas, faça uma lista dos sintomas e dúvidas que tiver, para não se esquecer dentro do consultório.
  • Tenha anotado o histórico da sua saúde durante os meses e anos, os medicamentos que utiliza e os procedimentos cirúrgicos que já realizou
  • Lembre se de sempre guardar seus exames e de mantê-los atualizados.

Dicas para uma rotina mais saudável:

  1. Pratique exercícios

Tenha uma rotina de exercícios frequentes, essa prática traz diversos benefícios para o corpo. A qualidade de vida de quem pratica exercícios aumenta consideravelmente, seja qual for a idade e exercício praticado. Os exercícios físicos irão te ajudar a evitar a hipertensão, a redução do colesterol ruim (LDL), prevenir a diabete, redução de doenças como ansiedade e depressão.

  • Mantenha-se no seu peso ideal!

Estar dentro do IMC adequado, vai muito além das questões estéticas. O excesso de peso aumenta os riscos de doenças como: hipertensão, colesterol, diabete, depressão, problemas respiratórios e entre outros.

  • Descanse com qualidade!

Ter uma boa noite de sono está diretamente ligado no funcionamento do corpo e da mente. Descansar adequadamente irá garantir que suas energias estejam renovadas para o dia seguinte, sem uma noite de sono adequada o estresse excessivo pode ocasionar doenças psicológicas. Entre os principais sinais do estresse, deve-se atentar nas alterações de humor, perda de apetite, problemas de atenção e ansiedade. Então busque relaxar, ter momentos de paz e tranquilidade, desconectar da loucura do dia a dia de vez em quando é o mais adequado.

Com essas dicas para manter sua saúde em dia, você vai perceber que manter uma qualidade de vida mais saudável é apenas uma questão de atitude. Ficou alguma dúvida? Entre em contato conosco por nossos meios de comunicação e não deixe de nos acompanhar no Facebook, Instagram e Youtube. Boas festas.

Como evitar os entalos?

Postado por master em 13/dez/2021 - Sem Comentários

Um dos principais aspectos da cirurgia bariátrica é a diminuição do tamanho do estômago. E essa diminuição do estômago implica em diversas alterações na vida do paciente, uma delas é que a capacidade de armazenar alimentos será reduzida. Além disso, o intestino pode ser modificado a fim de reduzir a absorção de nutrientes do paciente.

Com essa redução da capacidade do estômago, caso o paciente não faça toda reeducação corretamente, surge a possibilidade da ocorrência de entalos, e eles são o tema do nosso Blog de hoje.

O entalo é uma situação bem desconfortável, que ocorre na maioria das vezes devido à alimentação inadequada do paciente e pode trazer dores no peito, estômago ou garganta.

Para vocês entenderem, vamos imaginar uma estação de metrô. Em uma situação normal, do dia a dia, o trem chega, todos os passageiros entram e ele deixa a estação. Porém caso o trem mude e passe a comportar 1% do que o trem anterior comportava, os passageiros acabarão enfrentando uma fila, pois a capacidade do trem é menor. No corpo do paciente funcionaria mais ou menos assim, sendo que o trem representa o estômago dele (que reduziu a capacidade) e as pessoas representam os alimentos. Caso ele continue comendo a mesma quantidade de alimento, ou pelo menos na mesma velocidade, ele provocará essa “fila”, fazendo com que o alimento entale (mesmo sendo pequeno). O entalo pode ocorrer também quando o paciente não corta/mastiga direito o alimento, porém esse segundo “tipo de entalo” afeta a população inteira, não é exclusivo de pacientes que realizam a bariátrica.

O que fazer caso o entalo aconteça?

Caso o entalo ocorra, pare de se alimentar imediatamente. Não insista com outra porção de alimento tentando desbloquear o caminho. Levante-se e procure respirar profundamente. Você pode dar uma caminhada para ajudar no desentalar o alimento.

O aumento da salivação durante o entalo é uma situação comum, visto que é uma maneira do organismo tentar se livrar do alimento situado em um local inadequado. Portanto, não se preocupe, apesar de não ser uma situação muito agradável.

Adicionalmente, você pode ingerir alguma bebida gasosa, como um refrigerante ou uma água com gás. Deste modo, o gás estimula a eructação (o famoso arroto), a qual pode ajudar na retirada do alimento preso.

Portanto, siga com atenção todas as recomendações médicas após a cirurgia bariátrica e evite desconfortos durante a alimentação.

  • Uma das regras mais importantes é que o paciente deve ingerir porções reduzidas de comida. Tente utilizar uma colher menor para que os alimentos cheguem à boca em baixa quantidade;
  • Comer devagar, mastigando bem os alimentos;
  • Evite ingerir alimentos muito sólidos, e caso o faça, tente acompanhá-los com algum molho ou algo que os deixe mais fácil de ser quebrado;
  • Se alimentar usando a ponta do garfo (ou talheres de bebê/sobremesa);
  • Prestar atenção enquanto come. Nosso cérebro não está “acostumado” com o novo estômago e as condições pós-cirúrgicas, portanto, tenha cuidado durante toda o processo de alimentação durante as refeições para manter a mastigação e a deglutição adequadas. Comer na frente da TV ou vendo algum vídeo pode prejudicar o paciente.

Após as dicas acima, fica mais claro perceber que o grande causador dos entalos no paciente são os antigos hábitos do mesmo. O paciente muitas vezes estava acostumado a comer mesmo quando não está com fome, por exemplo quando você está em casa e quando se da conta está abrindo a geladeira pela 3ª, 4ª vez, comer rápido e até exageradamente. Quando ele decide realizar a cirurgia já deve ter em mente que terá que criar novos hábitos mais saudáveis.

Portanto se você operou e está tendo entalos, procure comer mais devagar, mastigue melhor, coma porções menores e acima de tudo, procure identificar os momentos que está comendo devido à fome ou ao hábito de comer bastante.

5 Verdades sobre Cirurgia Bariátrica

Postado por master em 06/dez/2021 - Sem Comentários

Como no post anterior trouxemos para vocês 5 mitos sobre a cirurgia bariátrica, hoje vamos falar sobre 5 verdades que também são bastante questionadas pelos nossos pacientes.

  • Meu cabelo poderá cair depois que realizar a cirurgia?
    Sim, é verdade, o cabelo e unhas dos pacientes podem cair, por mais que não seja uma regra. Essa queda de cabelos normalmente se dá a partir do 3 mês devido aos seguintes fatores: estresse cirúrgico, dieta restritiva logo após a cirurgia, alteração no sistema digestivo do paciente, consequentemente, alteração na absorção de vitaminas pelo paciente. Lembrando que o paciente recebe todas as orientações necessárias e a receita com as vitaminas para que, caso o paciente tenha queda de cabelos, ela seja mínima e pelo mínimo de tempo possível. A queda de cabelos começa nos 3 meses após a cirurgia e aos 6 meses já começa a diminuir significativamente. Lembrando que isso NÃO é regra, por mais que seja comum, não são todos pacientes que perdem cabelo.
  • É verdade que o paciente de cirurgia bariátrica deve tomar vitaminas para o resto de sua vida?
    Sim, é verdade. Quando o paciente realiza a cirurgia bariátrica, seu sistema digestivo é modificado, modificando também a absorção de alguns nutrientes. Como essa absorção é modificada, o paciente deverá tomar determinadas vitaminas em maior quantidade para suprir sua necessidade biológica. Importante lembrar que é muito melhor para o paciente passar anos tomando vitaminas e suplementos do que não optar pela cirurgia e continuar tomando remédios para pressão alta ou diabetes, por exemplo.
  • É verdade que a maior parte do peso o paciente perde nos primeiros dias de cirurgia?
    Sim, é Verdade! Nos primeiros 2 anos o paciente perderá em média de 30 a 50% do peso que tinha quando operou. 10% nos primeiros 30 dias, 20% nos primeiros 90 dias, 30% nos primeiros 180 dias e 40% nos primeiros 365 dias. Portanto, 10% no primeiro mês, mais 10% até o 3º mês, mais 10% até o 6º mês e mais 10% até completar o primeiro ano.
  • É necessário fazer uma avaliação médica detalhada antes de realizar a cirurgia?
    O paciente que pretende realizar a cirurgia bariátrica precisa passar pela avaliação de vários profissionais, que irão verificar se o procedimento é seguro para o paciente e se o mesmo está pronto para realizá-lo. Entre os profissionais que liberam o paciente para a cirurgia estão: o cirurgião, endocrinologista, cardiologista, nutricionista, psicólogo, fonoaudióloga, fisioterapeuta, pneumologista, entre outros.
  • O paciente terá recidiva da obesidade caso descuide da dieta e atividades físicas?
    Sim, também é verdade. A cirurgia é uma ferramenta que auxilia o paciente a perder peso, não é a garantia de que vai perder e não reganhar. Para o paciente se manter saudável a longo prazo é essencial que ele tenha uma dieta balanceada e também pratique alguma atividade física.

Covid-19 e Obesidade

Postado por master em 19/abr/2021 - Sem Comentários

Hoje a maior preocupação global ainda vem sendo o coronavírus, e visto que além de uma das condições citadas como grupo de risco ser a obesidade, estamos passando também por uma fase bem delicada da pandemia, hoje decidimos explicar um pouco melhor para vocês a relação entre a obesidade e coronavírus.

Alguns estudos foram feitos em relação à influência da obesidade em pacientes infectados com Covid-19 e em uma pesquisa do Obesity Reviews, com dados coletados nos Estados Unidos durante o primeiro semestre da pandemia, mostraram que a obesidade aumenta em 113% o risco de internação em casos de Covid-19. Foi publicado também um estudo mais recente pela Federação Mundial de Obesidade, que mostra que o risco de morte por Covid-19 em países onde o excesso de peso atinge a maioria da população é dez vezes maior. Hoje, quatro de cada dez brasileiros apresentam esse diagnóstico e 26,8% da população apresenta obesidade.

Existem outros estudos mostrando que o vírus acaba trazendo mais complicações para pessoas obesas. Mas por que isso acontece?

O Perigo do agravamento da Doença

Primeiramente, é importante ressaltar que os estudos não encontraram evidências de que pessoas com obesidade tem risco mais alto de contaminação mas na realidade o risco é de agravamento da doença, de acordo com os estudos.

Uma possível explicação para os casos serem agravados em pacientes obesos seria o fato de pessoas obesas viverem em estado inflamatório crônico de baixa intensidade (o tecido gorduroso produz substâncias inflamatórias continuamente). Portanto quando o paciente é infectado pelo Covid-19, seu corpo demora um pouco para dar a resposta inicial ao vírus (como se o corpo ficasse confuso em relação ao que está o atacando), diferente nos casos de pessoas não obesas, onde o corpo consegue identificar o “intruso” e começar a combater imediatamente da maneira mais efetiva. Além disso, quando o corpo detecta o vírus, ele acaba “dividindo forças” devido à quantidade de inflamações, não sendo tão efetivo quanto poderia no combate ao vírus.

Outro fator que atrapalha a pessoa obesa é o fato de que normalmente essa pessoa não realiza atividades físicas rotineiramente  e também costuma não se alimentar de forma saudável. Se alimentar bem e praticar atividades físicas é essencial para manter o sistema imunológico alto e, consequentemente, permitir que seu corpo seja o mais eficiente possível em não se contaminar e em combater melhor o vírus. Para finalizar o pacote, todos estão descontando o estresse acumulado na quarentena em algo, e diversas pessoas estão descontando na comida. Se não bastasse o coronavírus apresentar mais risco em pessoas obesas, a população está engordando devido à pandemia (principalmente pessoas já acima do peso ideal).

Independente da diferença do desdobramento da covid em obesos ou não, é uma doença extremamente séria e que precisa de todos os cuidados para se prevenir.

Protocolos de segurança:

  • Mantenha distância de no mínimo 1 metro
  • Lave frequentemente as mãos. Utilize água e sabão, ou uma solução à base de álcool.
  • Mantenha uma distância segura de qualquer pessoa que estiver a espirrar ou tossir.
  • Use máscara sempre que o distanciamento físico não for possível.
  • Não toque nos olhos, no nariz ou na boca.
  • Cubra o nariz e a boca com o cotovelo fletido ou um lenço quando tossir ou espirrar.
  • Se você se sentir doente, fique em casa.
  • Se tiver febre, tosse e dificuldade respiratória, procure assistência médica.
  • E para os que podem, fiquem em casa!

Medidas para se prevenir contra a obesidade

Por último, o coronavírus não foi a única infecção viral respiratória que pacientes obesos apresentaram resultados piores que pacientes sem obesidade, dados das últimas décadas sobre a MERS (síndrome respiratória do Médio Oriente) e a H1N1. Isso nos mostra que, independente da doença ou epidemia que possa vir no futuro, ser uma pessoa obesa faz com que na maioria dos casos de doenças o paciente tenha um desempenho pior se comparado a uma pessoa não obesa.

Claro que cada caso é um caso, mas um dos focos principais da Suzanclin é o tratamento da obesidade, seja ele clínico ou cirúrgico. Para tanto trouxemos aqui 4 medidas a serem tomadas no combate à obesidade que também irão auxiliar o paciente a passar por essa pandemia.

  • Prática de atividades físicas – Praticar atividade física, além de ajudar o paciente a promover um déficit calórico, vai ajudar o paciente a passar mais rápido o tempo na pandemia, liberar hormônios de prazer no seu organismo e promover momentos de autocuidado e reflexão para o paciente. Lembrando que essa atividade física pode ser feita dentro de casa, não restando desculpas para a pandemia. Caso queiram temos vídeos de treinos com nosso preparador físico no youtube. Clique aqui. 
  • Prática de alimentação saudável – Se alimentar bem, além de ajudar também a promover um déficit calórico, influencia diretamente o humor, a atenção, a concentração, entre outros diversos aspectos que não apenas os valores nutricionais a serem atingidos. Passe com uma nutricionista que ela vai poder te orientar tanto com o que quanto com o como e quando comer.
  • Passar por apoio psicológico – A pessoa obesa ficou obesa por algum motivo, houve algum exagero em algum aspecto da vida ou alguma condição que fez com que isso fosse possível. Um psicólogo vai poder ajudar o paciente a entender mais sobre si mesmo, o porque descontava o estresse na comida, por exemplo. A partir do momento que o paciente sabe como chegou em determinado estado, ele descobre o que não deve fazer mais, facilitando a saída desse estado de peso.
  • Acompanhamento médico – Chega um nível da obesidade em que tratar apenas com treino e dieta não é tão fácil, nesse momento é interessante o paciente estar procurando um médico para saber como está sua saúde e o que ele estará fazendo a partir daí para retomar as rédeas e conseguir tratar a obesidade. Caso o paciente esteja começando o tratamento ele optará por dieta, exercícios e talvez uso de remédio. Já o paciente que já tentou todas alternativas e não obteve sucesso, esse poderá procurar um cirurgião do aparelho digestivo.

Esperamos que esse texto tenha sido esclarecedor e te ajude a lembrar que quanto mais saudáveis estivermos, mais fácil será passar por pandemias ou outros problemas. Portanto, independente do evento externo que ocorra, internamente devemos nos cuidar para estar saudáveis sempre.

Se protejam e, se possível, fiquem em casa!

Como a cirurgia bariátrica contribui para uma boa saúde?

Postado por master em 05/abr/2021 - Sem Comentários

Em comemoração ao Dia Mundial da Saúde, vamos falar um pouco sobre como a cirurgia bariátrica é importante na melhora da saúde de pacientes que não tiveram sucesso no tratamento clínico da obesidade.

A OBESIDADE

Antes de explicar os benefícios da cirurgia, é importante ressaltar os agravantes da obesidade que impactam a saúde dos pacientes. A obesidade é uma doença multifatorial, ou seja, existem diversos fatores que podem desencadear o aumento de peso da pessoa. Alguns desses fatores são: genética, alimentação ruim, condições psicológicas, não realização de atividades físicas, sono ineficiente, entre outros.

A obesidade é hoje uma das principais causas de morte em todo o mundo devido  suas comorbidades. Dito isso, é importante ressaltar também que a obesidade vem aumentando ultimamente, em 2006 11,8% da população era obesa, em 2018 esse número representava 19,8%. Esse número pode ser justificado pela mudança de hábitos. Cada vez mais praticamos menos atividade física e nos alimentamos pior. O pior fator da obesidade é o pacote que ela traz. Pessoas obesas acabam desenvolvendo algumas comorbidades como: Hipertensão arterial, diabetes tipo 2, hipercolesterolemia, apnéia do sono, insuficiência cardíaca, artroses de quadril e joelhos, obstrução arterial (ex. coronárias, carótidas, etc) e ainda outras doenças associadas.

Além disso, a obesidade também tem grande influência na saúde mental dos pacientes, influenciando diretamente na parte pessoal e profissional do paciente. Na clínica já vimos diversos casos de pacientes que relataram dificuldade no trabalho ou vida pessoal devido à obesidade. Pacientes esses que após emagrecerem apresentaram resultados muito melhores que os anteriores, principalmente por estarem se sentindo melhor com a imagem atual.

A CIRURGIA BARIÁTRICA

Hoje a cirurgia bariátrica é considerada o melhor e mais efetivo tratamento da obesidade grave, contribuindo não só para a perda de peso como também para manutenção dessa perda em longo prazo. Além disso, a cirurgia tem sido também uma excelente opção no tratamento de comorbidades, com melhor controle e remissão da Diabetes tipo 2, hipertensão, entre outras.

Mesmo com esses fatos, ainda existem pacientes que tem dúvidas em relação aos benefícios do procedimento, muitas vezes incomodadas com o processo pós-operatório ou o fato de ter que continuar tomando vitaminas para a vida.

A cirurgia bariátrica é, explicando com palavras simples, um procedimento onde o médico irá diminuir o estômago do paciente, alterando o tamanho do mesmo e, consequentemente, diminuindo sua capacidade de receber alimentos. Dependendo do procedimento escolhido o paciente passará também a absorver menos nutrientes no intestino delgado, porém explicaremos isso melhor mais para frente.

Hoje na Suzanclin, a cirurgia bariátrica é realizada apenas por videolaparoscopia. O método aberto, além de ser um procedimento mais demorado, é um método com recuperação mais demorada e dolorida. Confira aqui as condições para operar.

Quanto às técnicas cirúrgicas, hoje são preferidos o Sleeve e o Bypass, neste texto não iremos focar no procedimento em si, caso deseje saber mais, clique aqui. O Sleeve se baseia em dois princípios, o da restrição do volume alimentar ingerido e o da retirada de uma parte do corpo do estômago e do fundo gástrico, onde é produzido um hormônio chamado grelina (o hormônio que gera sensação de fome). Já o Bypass se baseia na diminuição do espaço para o alimento e o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. Ambas as cirurgias são seguras.

Aliado à cirurgia bariátrica, o paciente faz todo um acompanhamento nutricional, psicológico e físico, que irão ensinar o paciente e ajudar a mudar seus hábitos para viver uma vida cada vez mais saudável após a cirurgia. Do ponto de vista nutricional, muitos pacientes submetidos à cirurgia bariátrica deverão ser acompanhados por um bom tempo, com o objetivo de receberem orientações específicas para elaboração de uma dieta qualitativamente adequada e ingestão de vitaminas que possam ser necessárias. Porém, sem dúvidas é melhor realizar uso contínuo de suplementação vitamínica do que ingestão de remédios para comorbidades.

Para finalizar, ressaltamos que a cirurgia bariátrica é um meio, não um fim. Portanto o paciente que realizou a cirurgia não vai necessariamente perder peso e nunca mais voltar a ganhar esse peso. Todos os hábitos que ele construir irão influenciar diretamente no seu peso e na sua vida, fazendo com que o paciente venha a ser cada vez mais ativo e saudável. A Suzanclin realiza o procedimento há 18 anos, e se tem uma coisa que podemos afirmar é que, em casos que há indicação cirúrgica, os pacientes melhoram muito sua saúde e qualidade de vida. Independente dos receios e tabus que rolam acerca do assunto, é uma ferramenta que auxilia muito o paciente na busca da vida mais saudável.

Para saber como funciona o passo a passo da cirurgia bariátrica conosco clique aqui.