Cirurgia Bariátrica ou Balão Intragástrico? Qual procedimento escolher?

Postado por master em 30/ago/2021 - Sem Comentários

Você sabia que 6 em cada 10 pessoas estão no sobrepeso? É isso que aponta a Pesquisa nacional de saúde feita pelo IBGE. Como consequência disso, grande parte da sociedade está obesa. É por este motivo que escolhemos este tema para o nosso artigo de hoje.

Vamos falar um pouco sobre o balão intragástrico e a cirurgia bariátrica. Abordaremos os prós e contras de cada procedimento, caso opte por fazer um dos dois, ou ambos. Faremos comparações entre eles para deixar claro o que vale mais a pena para você.

Semelhanças e diferenças entre balão e cirurgia bariátrica

Como em qualquer ferramenta ou método de atingir algum objetivo, existem semelhanças e diferenças em relação a outros métodos. Para explicar de uma forma simples, a gente poderia dizer que o balão gástrico seria um método de emagrecimento para quem não quer realizar um procedimento cirúrgico e não está em uma situação tão grave de obesidade. Já a cirurgia bariátrica seria mais focada no tratamento de pacientes com obesidade maior e também os casos em que a motivação da cirurgia são doenças metabólicas (existe também o caso do paciente com super obesidade que coloca o balão antes da cirurgia para operar em condições de saúde melhores, consequentemente com menos risco, daqui a pouco falaremos sobre isso).

Importante ressaltar que o seu médico é a pessoa mais capaz de passar  uma indicação assertiva do método que ele vai utilizar, portanto antes de tomar sua decisão consulte sempre o seu médico.

Os maiores casos de emagrecimento observados são os seguintes:

  1. Paciente acima do peso (IMC 30) que quer emagrecer porém tem receio de cirurgias;
  2. Paciente bem acima do peso (IMC 40) que quer emagrecer e não tem problema com cirurgias;
  3. Paciente bem acima do peso (IMC 35), com doenças metabólicas e sem problema com cirurgias;
  4. Paciente super obeso (IMC 50) sem problemas com a cirurgia (porém com risco cirúrgico).

Trouxemos esses 4 “tipos” de pacientes para facilitar o entendimento.

No caso 1, o paciente não possui indicação cirúrgica devido ao seu IMC, porém ele já possui os requisitos para colocar o balão (IMC acima de 27). Esse paciente provavelmente optará apenas pelo balão intragástrico.

No caso 2, o paciente poderá optar pelos 2 métodos. Podemos observar que seu IMC já permite que ele realize tanto a cirurgia quanto coloque o balão, portanto dependerá bastante da existência ou não de outra condição que defina o método utilizado.

O caso 3 é bem parecido com o 2, possui indicação para os dois métodos, porém o balão não garante ao paciente a melhora metabólica que a cirurgia promove, portanto por mais que o paciente pudesse optar pelos dois, nesse caso o médico possivelmente indicaria a cirurgia para o paciente.

Já no último caso (4), temos um paciente super obeso. Nesses casos o médico costuma indicar os 2 métodos associados. Portanto o paciente colocaria o balão (promoveria uma perda de peso inicial, facilitando a cirurgia e garantindo uma saúde melhor do paciente no momento da cirurgia) e depois de retirá-lo realizaria a cirurgia.

A eficácia dos procedimentos

É muito importante dizer que, o paciente que respeitar todos os protocolos e se esforçar para realmente ficar saudável, com certeza vai atingir seus objetivos. Por mais que opte pelo método mais ou menos eficaz, o que garante a eficácia é justamente o comprometimento do paciente em atingir as metas.

Balão Intragástico

Hoje sabemos que o balão intragástrico promove um emagrecimento entre 10% e 20% do peso inicial do paciente (seu efeito é dado pela alteração da saciedade do paciente, uma vez que o balão ocupa de 1/3 a ½ da cavidade estomacal). Esse balão poderá ser utilizado por 6 ou 12 meses, tendo que ser retirado pela degradação diária promovida pelo contato com o ácido do estômago. Essa porcentagem pode chegar a 30% dependendo do comprometimento do paciente.

Vantagens do balão:

  • Procedimento reversível
  • Risco muito baixo
  • Não provoca alterações no estômago

Contra indicações do balão:

  • Pacientes que já realizaram cirurgia gástrica
  • Histórico de alcoolismo e uso de drogas
  • Distúrbios de coagulação
  • Presença de hérnias diafragmáticas hiatais com mais de 5 cm
  • Lesões com potencial hemorrágico no trato gastrointestinal superior
  • Tumores estomacais
  • Doenças hepáticas graves
  • Gravidez
  • Qualquer tipo de contraindicação a procedimentos endoscópicos

Cirurgia Bariátrica

A cirurgia bariátrica já promove um emagrecimento aproximado a 40% do peso inicial, além de possuir também propriedades que auxiliam no tratamento de doenças metabólicas.

Vantagens da cirurgia

  • Tratamento de doenças metabólicas
  • Porcentagens maiores de rendimento em menor tempo

Contra indicações da bariátrica:

  • Alcoólatras, usuários de droga e/ou com instabilidade emocional
  • Gestantes
  • Com hérnia de hiato, varizes esofágicas, doenças digestivas inflamatórias ou problemas cardiorrespiratórios severos

Gostou das informações? Indique este artigo.
Saiba mais sobre Balão Intragástrico clicando aqui
Quer mais informações sobre a Cirurgia Bariátrica? Clique aqui

Tudo que você precisa saber sobre o Balão Intragástrico

Postado por master em 04/jan/2021 - Sem Comentários

O que é o Balão Intragástrico e quais os tipos?
O balão é uma esfera de silicone extremamente resistente (ao ponto de suportar o pH estomacal), que é inserida no paciente por endoscopia, não caracterizando uma cirurgia, com o intuito do mesmo perder peso. Ele é colocado ainda murcho no estômago e, ao chegar ao estômago, o balão  é insuflado com soro fisiológico e azul de metileno. Seu volume pode variar de 400 a 900 ml.

Dentre os balões existem 2 tipos diferentes: o permanente e o reajustável, o permanente terá entre 400 e 700 ml e poderá ser utilizado por 6 meses. Já o balão reajustável terá entre 400 e 900 ml e pode ter o volume alterado, o balão reajustável pode ser usado por até 12 meses.

Como funciona?
O efeito do balão é dado tanto pela alteração da saciedade do paciente que o utiliza quanto pelas alterações hormonais e neurais provocados pela sua presença. O balão ocupa de um terço até metade da cavidade estomacal. Essa “diminuição” do espaço disponível no estômago  gera saciedade nos pacientes, o que faz com que eles ingiram uma quantidade menor de alimentos e consequentemente menor quantidade de calorias.

É importante ressaltar também que, diferente da cirurgia bariátrica, o balão tem a eficácia limitada, não provocando mudanças fisiológicas e hormonais capazes de controlar doenças associadas à obesidade, como a diabetes por exemplo.

Quem avalia se o paciente deve ou não colocar o balão?
O Balão intragástrico pode ser indicado por diferentes especialidades que trabalham com a obesidade, como o Cirurgião do aparelho digestivo, o Endocrinologista, o Cardiologista, entre outros. O profissional que irá realizar o procedimento em si e que vai saber tirar suas dúvidas é o endoscopista.

Hoje o balão costuma ser inserido em pacientes com IMC acima de 27 ou também é utilizado em pacientes que vão realizar a cirurgia bariátrica e possuem super obesidade (IMC acima de 50) para realizarem uma cirurgia mais segura.

Quantos quilos vou perder?
Após inserir o balão o paciente perderá entre 10% e 20% do seu peso inicial, lembrando que esse número vai depender muito de como o paciente passou por esse processo, se respeitou todos os prazos e orientações do médico/equipe. Portanto se você pesa 100kg, irá perder entre 10 e 20 quilos. Algumas pesquisas apontam também que pacientes com comorbidades e que praticam exercício físico costumam perder mais peso.

Por quanto tempo devo usar o balão?
O balão poderá ser utilizado de 6 a 12 meses, dependendo do tipo escolhido.

Qual o risco de colocar o balão?
O balão só irá apresentar um risco maior ao paciente caso seja realizado em algum ambiente inadequado ou o paciente apresente grandes problemas na adaptação à sua nova realidade alimentar.

Depois que o balão intragástrico é colocado no estômago, é comum que pacientes sintam náuseas, vômitos e cólicas por até 72 horas. Afinal, trata-se de um corpo estranho inserido no organismo. Porém se os desconfortos persistirem o paciente deverá procurar o médico.

Contraindicações: Hérnia, distúrbio de coagulação, lesão potencialmente hemorrágica no trato gastrointestinal superior, gravidez, desejo de engravidar, fase de amamentação, alcoolismo ou drogas, doença hepática grave, qualquer contraindicação de endoscopia.

Como é o processo para inserção do balão na Suzanclin?
Para realizar a inserção de balão na Suzanclin o paciente deverá seguir o seguinte passo a passo:

  1. Caso o paciente já passe com algum endocrinologista ele receberá a indicação para colocar o balão, se não tiver a indicação ele poderá ligar na Suzanclin e agendar uma consulta com um de nossos endocrinologistas para fazer uma avaliação;
  2. Após receber a indicação de colocar o balão o paciente irá marcar uma consulta com o endoscopista na Suzanclin para receber todas as informações necessárias para colocar o balão. Nessa consulta o paciente deverá levar uma endoscopia, se ele realmente possuir a indicação ele poderá agendar a data para consulta com o nutricionista, lembrando que a primeira consulta com a nutricionista deve ser feita antes de colocar o balão;
  3. Tendo feito as primeiras consultas, o paciente poderá agendar a data para colocar o balão, o primeiro valor pago pelo paciente é referente aos honorários médicos de colocação e retirada do balão e os 5 retornos com o médico (15, 45, 90, 120 e 180 dias pós colocar o balão);
  4. Além do valor anterior o paciente deve também comprar o balão, a Suzanclin envia o contato de 2 fornecedores e o paciente tem a opção de escolher qual deles ele vai preferir;
  5. Estando todos os valores acertados o paciente irá colocar o balão e vir nos seus retornos na Suzanclin, quando ele for retirar o balão também será pago a taxa de sala de retirada de um dos hospitais parceiros da Suzanclin. Por mais que o balão seja inserido na clínica, é mais seguro realizar a retirada em um hospital;
  6. Por último o paciente irá no hospital para realizar a retirada do balão. Nessa altura o paciente já terá perdido de 10 a 20% do peso e recebido toda orientação necessária para, não só manter o peso, mas continuar tendo a vida cada vez mais saudável.

Lembramos que a reeducação do paciente é o fator mais importante, as consultas com o nutricionista e o psicólogo são essenciais na orientação do paciente.

É importante ressaltar que, assim como na cirurgia bariátrica, se o paciente não se esforçar para reeducar sua alimentação e sua relação psicológica com a comida, ele provavelmente voltará a ganhar peso.

A cirurgia e o balão ajudam o paciente a perder peso e comorbidades inicialmente, mas o acompanhamento com nutricionista e psicólogo é extremamente importante para obter uma reeducação de qualidade, essa reeducação será a medida mais efetiva para o paciente ter um peso saudável no longo prazo.

Agende sua avaliação e conheça a Suzanclin:
(11) 4745-3600 | (11) 4748-8412